terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

O Caminho da Páscoa, da Vida, da Paz!



Para o Povo Cristão, chegou o tempo da Quaresma, do tradicional jejum, da penitência .

Acima de tudo, trata-se de um tempo de reflexão, de meditação e de contemplação. É o tempo que antecede a Grande Festa da Ressurreição do Senhor, a Grande Festa da Páscoa, a Grande Festa da Natureza, que se renova na Primavera.

Não há que ser obrigatoriamente católico para aproveitar estas semanas e encontrar nelas um caminho para a auto-realização do Amor e da Compaixão, da Dádiva e da Generosidade, do Compromisso com o Divino que existe em cada um de nós.

Podemos tirar proveito deste tempo especial para caminharmos até ao mais íntimo de nós mesmos e aí encontrarmos as cruzes, que temos carregado ao longo da vida, reflectirmos acerca delas, dos seus porquês, das suas causas e efeitos. Quantas das nossas cruzes ou dificuldades não passarão de padrões de vida repetidos , de apegos, de egoísmos?

Se escolhermos o nosso Caminho sem tentarmos espalhar pedras no Caminho do outro, do amigo, do filho, do companheiro ou da esposa, do vizinho, é natural que acabemos por aliviar o peso que carregamos dentro do coração.

Jejuar não é deixar de comer frango para comer uma mariscada. Dar, não é oferecer os restos da nossa mesa, mas antes darmos aquilo que temos de mais precioso e até aquilo que poderá fazer-nos falta, tal como a viúva que ofereceu no templo a única moeda que possuía. Penitenciar é saber dar a mão a quem nos pede auxílio, o perdão a quem nos magoa, pedir desculpa a quem ferimos.

Este é o verdadeiro Caminho da Páscoa, da Vida, da Paz e que vai muito para além de qualquer credo ou religião!

Bem hajam!
Om Shanti!
A Paz esteja convosco!

Clotilde

2 comentários:

greentea disse...

Olá Clotilde

Não gosto de rótulos, importam-me os sentires, as vivencias, a forma de estar.
Há uns anos realizou-se em Lisboa uma reunião de jovens de Taizé - vieram uns 20000 e aqui na minha freguesia pediram se podiamos acolher alguém. Recebi dois polacos aqui em casa , sem os conhecer de lado algum e gostámos imenso dessa partilha. Depois disso continuei a ir às reuniões e Canticos de Taizé que se realizam em Sintra, Algueirão ou Rio de Mouro, à noite. São orações, canticos, meditação, partilha de ideias e pensamentos. Acho lindissimo e toca-me profundamente. Vão novos e velhos. Mexe connosco !

Um beijo

**Je Vois la Vie en Vert ** disse...

Bela iniciativa !
Junto-me a ela.
beijinhos verdinhos